sábado, junho 27

Uns dias de descanso e uma inspiração!



Vamos chamar o Verão! Verão que chegou com toda a força, envergonhou-se por alguns dias e já voltou novamente a sorrir.
Gosto desta estação apesar de não ser a minha predileta. Gosto do Verão quente e solarengo, mas com temperaturas que se possam suportar ao contrário destes últimos dias.
O Verão combina com praia, mergulhos no mar, banhos de sol e passeios à beira mar. Esta nova estação é sinónimo de diversão e boa disposição, é sinónimo de descanso e de férias.
Mas como os próximos dias de férias ainda não se avistam é o momento de recordar os últimos dias de descanso em que saboreei um pouco mais do nosso pais ao ritmo desta nova estação.
Foi no inicio deste mês que me deslumbrei com a nossa costa alentejana. Um percurso feito desde a Praia de Odeceixe até à Comporta, alguns quilómetros de costa vivênciados com toda a calma e prazer.
Foi a primeira vez que visitei a Costa Alentejana. Sim, é imperdoável ainda não o ter feito apesar de por diversas vezes ter programado. Mas foi desta!!



Depois de sair bem cedinho de casa, com um roteiro elaborado segui em direção a Odeceixe, foi aqui que fui recebida sem raios de sol mas cuja beleza desta praia onde a ribeira se junta ao mar demonstra uma beleza única.
Passei pela aldeia piscatória de Azenhas do Mar onde esta terra tem a particularidade do nome das ruas, travessas e becos terem sido baptizadas com nomes de peixes. Ora havia a rua do Robalo, a Rua da Sapateira,... entre outras.
Zambujeira do Mar seria o próximo destino. O sol que naquele dia teimava em não aparecer foi no final do dia que lá deu um ar de sua graça.
Contudo foi na manhã do dia seguinte, manhã que nada parecia a do dia anterior, solarenga onde o azul do céu se misturava com o azul do mar, que deslumbrei a beleza natural daquela terra onde fiquei a pernoitar.



Passei pelo Cabo Sardão, um pedaço de terra que é difícil de descrever por palavras tamanha beleza. Uma imensidão de terra, os rochedos e as enormes escarpas que ligam com o azul esverdeado do mar, as flores que abundam e a aves que sobrevoam. Um local tranquilo, mágico, um lugar que amei descobrir.
Almograve, Vila Nova de Mil Fontes e Comporta foram outras paragens que me apaixonaram e inspiraram.

Adorei cada minuto, cada segundo, cada momento vivido a explorar e a descobrir a nossa costa. São estes momentos que me inspiram, são de dias assim que vou enriquecendo a minha vida. Adoro o sabor a mar, os raios de sol que brilham de outra forma, o cheiro a terras humildes e de gentes simples, simpáticas e hospitaleiras. 
Foi com base nestes dias que me inspirei trazendo mais uma refeição leve e simples de preparar. Desta feita, o rei é peixe, um Pargo assado no forno com courgete e um molho fresco de salsa de pimento e cebola roxa dando a frescura que o prato tanto goza.

A cama feita de courgete teve a ajuda da mandolina da Borner, um utensílio de excelente qualidade e cada vez mais presente na minha cozinha.

Que me dizem a tal inspiração?!


Pargo no forno com Courgete e Salsa de Pimentos e Cebola Roxa

Ingredientes:

(Serve 2 pessoas)

2 Pargos médios
1 Courgete grande ou 2 pequenas
1 Cebola
1 limão
Coentros picados q.b.
Azeite q.b.
Sal e pimenta q.b.

Salsa de Pimentos e Cebola Roxa:

1/2 pimento verde
1/2 pimento vermelho
1/2 cebola roxa
Coentros picados
Sal q.b.
Pimenta q.b.
Azeite q.b.
Vinagre de Cidra (Sabor Bio) q.b.


Comece por lavar a courgete e retirar a casca à cebola, Corte a cebola em meias luas e a courgete em rodelas com a ajuda da mandolina (usei da marca Borner).
Coloque a cebola no fundo de um tabuleiro, por cima disponha as rodelas de courgete. Polvilhe com um pouco de coentros.
Lave e limpe o peixe. Faça 2 ou 3 golpes no peixe e coloque em cada golpe uma rodela de limão e alguns coentros. Tempere com sal e pimenta moída, Regue com um pouco de azeite e sumo de limão. Polvilhe o peixe com coentros e leve ao forno pré aquecido a 180ºC cerca de 25 a 30 minutos.


Entretanto prepare o molho com o qual pode acompanhar o peixe. Pique os pimentos e a cebola roxa e coloque numa taça. Tempere com um pouco de azeite, vinagre, coentros picados, sal e pimenta moída no momento.


Deliciem-se!!

4 comentários:

  1. Ai este teu post, Ana!
    Que nostalgia... Sabes que adoro a Costa Vicentina, e apesar de já a ter percorrido mais do que uma vez, nunca chega. Para mim é das zonas mais apaixonantes que temos por cá.
    E este teu belo pargo combina na perfeição com o espírito do sítio ;)

    Bjinhos grandes

    ResponderEliminar
  2. Que belas imagens nos trazes, Ana. E que bela refeição propões.
    Adorei!
    Beijinho grande

    Sílvia

    ResponderEliminar
  3. Querida... que passeio lindo tu deste. As tuas fotografias dão-me vontade de ir até lá, novamente...
    Quando aí estive tirei fotos, evidentemente, mas os meus interesses fotográficos na altura não são os mesmo de agora. Com certeza que neste momento tiraria outro tipo de fotografias.
    Obrigada por esta partilha tão bonita e por este peixinho DELICIOSO ;-)
    Beijinhos querida Baixinha
    C

    ResponderEliminar
  4. Como é linda a nossa costa alentejana! Sempre que tenho uns dias livres é nela que penso e para lá tento fugir. Adoro a beleza natural, a gastronomia.
    E adoro peixinho no forno, com essa caminha de curgete. Beijinho.

    ResponderEliminar