quarta-feira, novembro 30

Bolinhas de Grão e Ervilhas com Caril e Salicórnia



Uma despensa recheada de aromas, de cor e de sabores. Tenho o privilégio de ter uma despensa onde se respira produtos variados e ingredientes diferentes.
A minha curiosidade faz com que a vá compondo com uma compota trazida de um simples mercado, uma conserva ou um frasco de sal de uma qualquer loja gourmet, especiarias de uma viagem, ou até produtos que vou adquirindo pela simples curiosidade. Por vezes transporto  num bonito saco ideias sob a forma de produtos. O que irei fazer, como irei utilizar aquele chutney, aquela especiaria, uma ou outro tipo de farinha, legumes diferentes não tão vistos ou até mesmo frutos menos consumidos.
Ao entrar na minha despensa sou invadida pelos meus pensamentos. Deixo-me levar até Marrocos de onde trouxe uma variedade enorme de especiarias, olho o pacotinho do chá e sou transportada para terras açoreanas com o seu chá preto. Ao lado um alho preto comprado numa loja do centro de Leiria, algumas conservas de peixe compradas da última visita ao porto. Dessa mesma visita veio comigo um saquinho com híbisco desidratado e um pequeno pote com sal especifico para grelhados.
Do outro lado salicórnia, ou espargo marinho, uma planta com caules carnudos e folhas em forma de escama. Directamente da Ria Formosa, a Salicórnia da RiaFresh é ligeiramente salgada, crocante e suculenta ideal para as mais variadas aplicações, desde saladas, molhos, com peixe ou com carne ou até mesmo somente como tempero. Cozinhada ou crua é um excelente substituto do sal.
A empresa RiaFresh comercializa este e outro tipos de produtos/vegetais naturais primando pelos elevados padrões de qualidade. Para saber mais sobre a Salicórnia ou a empresa RiaFresh pode visitar o site aqui.



A próxima receita, vem em jeito de pedido de desculpa pela minha ausência nestes últimos tempos e em modo de despedida por mais um mês. Marcaremos encontro no próximo ano, com um regresso mais presente e algumas novidades. Até lá aproveitem e façam estas bolinhas de grão e ervilhas com um leve toque a caril. Devo dizer que são de brandar aos céus, de tal sabor reforçado pelo uso das especiarias e nas quais temperei com salicórnia abolindo por completo o uso de sal. Devo dizer que a  sua substituição foi sucesso garantido.

quarta-feira, outubro 26

Pana Cotta de Chocolate Branco e Matcha com Calda de Framboesas



Falemos hoje de sobremesas. Quem não gosta de uma sobremesa, mais ou menos tradicional, com diferentes texturas e sabores.
Há as sobremesas de cada estação e de cada época, gelados mais no Verão, as rabanadas e os sonhos no Natal, os doces com frutos secos no Outono... Depois há as sobremesas intemporais, aquelas que em qualquer estação nos aconchegam a alma. É sempre benvindo uma tacinha de barro recheada de arroz doce coberto por uma camada de canela em pó, colheradas de uma generosa fatia de pudim caseiro, uma sublime mousse caseira de chocolate ou um creme brullé com uma crosta estaladiça.
Recentemente descobri uma verdadeira panaccota, outra sobremesa que considero intemporal. Descobrir não no verdadeiro sentido da palavra. Mas encontrar a receita que me traria a qualquer mesa uma verdadeira panaccota, com a textura e o sabor correcto. Foram muitas tentativas falhadas, ou pela textura demasiado rija que mais parecia gelatina ou então o oposto, basicamente um creme de natas.


Foi após visitar este blog, da querida e doce Patrícia que decidi reproduzir a sua panacotta de chocolate branco e matcha. Como já tinha adquirido matcha nesta loja que merece uma visita, foi o momento ideal para a poder usar e saborear. Da receita da Patrícia apenas decidi alterar o molho usando um coulin de framboesa ao invés de cereja. Não encontro adejetivos para definir tal delicadeza e suavidade desta panacotta que acompanhada pela frescura da framboesa nos eleva aos céus.

quinta-feira, outubro 13

Quinotto de Abóbora assada, Tomate e Agrião e um Outono acabado de chegar!!



As temperaturas baixaram, as noites estão mais frescas, os dias começam mais cinzentos e por vezes alguns pingos de chuva trazem-me à realidade. A um Outubro que vai a meio, a uma estação que já começou e que entra em constante choque com a minha vontade de regressar aos dias de um Verão quente. Dias que se confundiam com as noites, passeios à beira mar, esplanadas ao sol repletas de movimento.
Deparo-me com um Outono que já se estreou a toda a velocidade. Não que não aprecie esta estação, pelo contrário, mas também é a estação que antecede o Inverno, essa sim que eu nada gosto.
As folhas das arvores cobrem os caminhos e as estradas, as árvores ficam despidas e fica aquele som caracteristicos de quando andamos sobre as folhas castanhas.
As temperaturas baixam e levam a que os armários se encham de camisolas e casacos quentes. As luvas e os cachecois começam também a desfilar.



É tempo de passeios de fim de semana a ver o mar bravo, ondas que batem sobre as rochas com toda a força e eu quentinha, no conforto de um sobretudo de lã que me aquece o corpo.
O São Martinho virá a caminho e com ele o tão aguardado verão de São Martinho, cujo seu sol contagiante me convidada a passeatas.

sexta-feira, setembro 30

Queques de Chocolate numa versão saudável!!



Muito se tem falado sobre estilos de vida mais saudáveis, baseados numa alimentação equilibrada. Depois surgem conceitos como alimentação vegetariana ou vegan, paleo, o detox, superalimentos, comida crua (raw) e muitos outros ideais ... 

Mas como será verdadeiramente uma alimentação saudável?

Na minha opinião, e é somente uma opinião, alimentação saudável é uma alimentação equilibrada, rica em nutrientes necessários ao nosso organismo. Uma alimentação com a qual nos sentimos bem, que nos reforça as defesas e faz bem à nossa saúde e que seja sobretudo, uma modo de vida e de encarar o dia a dia.
Não basta dietas loucas ou extremamente restritas, hábitos alimentares que nos inibem de consumir alimentos dos quais podemos consumir. Na minha opinião podemos consumir a grande maioria dos alimentos e comer um pouco de tudo, desde que com o seu peso, conta e medida claro. Nada de exageros mas muito menos de restrições totais, até porque o fruto proibido é o mais apetecido, já refere o ditado.
Optar por peixe ao invés de carne, já é um bom principio. Depois atacar fortemente nas verduras e legumes. A fruta é essencial e os hidratos de carbono também que podem ser obtidos através dos cereais do pequeno almoço ou do pão ao lanche e porque não de uma colherzita de arroz ou de uma batata, de preferência batata doce ao almoço.
Reduzir nas gorduras, evitar os alimentos fritos, evitar açúcar refinado e optar por fruta da época e preferir o pão integral são sempre algumas dicas.
Mas esporadicamente uma tacinha de arroz doce, uma bola de gelado ou até mesmo uma fatia daquele bolo de chocolate que tanto admiramos não faz mal a ninguém.
Isto sim para mim é uma alimentação saudável, que aliada ao litro e meio de água que bebo todos os dias e ao exercício que faço regularmente me ajudam a sentir bem.